The Back of the Napkin

The Back of the Napkin

Autor: Dan Roam é presidente da Digital Roam Inc., empresa que consultoria que já atendeu clientes como Google, eBay, GE, Boeing e Wal-Mart. Seu método já foi apresentado no Senado dos EUA e em canais de TV como CNN, MSNBC e Fox News, dentre outros.

Editora: Portfolio (EUA, 2008).

Do que se Trata: “Resolver problemas e vender ideias com figuras” (subtítulo do livro). Roam apresenta o Pensamento Visual, um método que se baseia na seguinte premissa: uma imagem vale mais que mil palavras. Aprendemos aqui que a imagem certa vale bem mais que mil palavras.

A quem se destina: Todo mundo que resolva problemas e / ou venda ideias.

Dê de presente para:

  • Analistas de Negócios e de Sistemas
  • Líderes de Projetos
  • Desenvolvedores
  • Executivos
  • Seu colega que fala e / ou escreve demais.

Contra-indicações: Nenhuma. E Roam prova que todo mundo pode aprender a desenhar.

Prós:

  • Leitura fácil e muito agradável.
  • Roam é muito didático. E os exemplos utilizados são bons.
  • A diagramação esperta evita idas e vindas.

Contras:

  • A base da neurobiologia, relevante que é, não deveria estar no apêndice. O autor nos convida a visitá-lo várias vezes no início do livro. Aceite o convite.
  • Os exemplos são bons mas poucos. Por isso o autor se apressou em lançar um complemento, “Unfolding the Napkin” (mais sobre ele abaixo).
  • Quem já tem o costume de desenhar para entender ou explicar pode achar o livro meio “basicão”. Mas, inexplicavelmente, anda raro encontrar pessoas com tal hábito. Mais difícil ainda é encontrar quem o faça de maneira sistemática, amparado por um método consistente.

Apresentação / Complementos:

Trilha de Estudo:

  1. Obrigado pela Informação que Você NÃO me Deu!
    Normann Kestenbaum – Campus / Elsevier (2008).
    Apresentado anteriormente na biblioteca do finito.
  2. Unfolding the Napkin
    Dan Roam – Portfolio (2009).
    Um método “hands-on” – um workshop de 4 dias com vários exemplos e exercícios. Complemento obrigatório de “The Back of the Napkin”.
  3. Business Modeling with UML
    Hans-Erik Eriksson e Magnus Penker – Wiley (2000).
    Aqui pisamos em solo pedregoso. Livro indicado apenas para quem quer megulhar de cabeça no uso da UML para a modelagem de negócios. Para analistas de negócios, considero um caminho inevitável. É interessante notar que, a exemplo do que acontece no FAN, o método de Dan Roam facilita bastante esta viagem. Dois artigos de minha autoria mostram um pouco deste ‘casamento’:
    Modelagem de Negócios: Uma Sugestão
    Modelagem de Negócios: Os Diagramas
  4. Business Modeling – A Practical Guide to Realizing Business Value
    David M. Bridgeland e Ron Zahavi. Morgan-Kaufmann (2009).
    Citado anteriormente por aqui. Não concordo nem um pouquinho com as sugestões dos dois autores: 4 linguagens ou padrões de notação diferentes para cada aspecto do negócio (BPMN se encaixa aqui). Prefiro o uso de uma única língua, UML. Mas preciso dizer que é um caminho alternativo para analistas de negócios e afins.

.:.

PS: Eu prometi uma trilha por mês. E falhei em abril. Portanto, aguardem outra entrada em nossa Biblioteca ainda em maio.