web
counter
Certificando a Maria

Certificando a Maria

Há quase um ano, em 21/4/18, a Maria deu as caras no Caipira Ágil. Ela tinha dois dias de vida. O tio coruja e sacana não pagou pelos direitos de imagem. E usou a foto como um quebra-gelo dos mais apelativos.

Crianças aprendem muito nessa fase. São como pequenas esponjas prontas para absorver tudo o que gira ao seu redor. De certa forma, com menor eficácia, a gente experimenta algo parecido quando se depara com coisas novas e atraentes. Ao contrário das crianças, até conseguimos alguma disciplina e atenção.

Por mais que queira, um tio não está todo dia com a sobrinhada. Então, cada encontro é um susto. Porque a criançada cresce e desenvolve habilidades numa velocidade estonteante. É como um PO de mentirinha que só se encontra com seu produto nas revisões. Não, nada a ver. Porque geralmente esse PO não gosta do que vê. Ao contrário do tio, que fica bobo diante de tanta evolução.

Caramba, essa menina já aprendeu a tirar selfies? Não, é ilusão de ótica. Mas ela, mal influenciada pela madrinha, já simula conversas ao telefone. Dança ao ouvir qualquer música. Brinca com o irmão e os primos como se não houvesse diferença de idade.

No último domingo, ela saiu dos braços do pai e deu o primeiro passo em minha direção. Foi um passinho só, cambaleante. Mas foi o suficiente para deixar uma alegria danada. “Eu falei que ela ia andar antes de completar um aninho”, comemorou a avó.

Alegria equivalente a gente vê quase todo dia. A pessoa dá um primeiro passo – um curso e uma prova de múltipla escolha – e conquista o mundo. Agora é um analista, gerente, PO ou mestre CERTIFICADO.

Viu Maria? Além dos direitos de imagem, agora te devo também um certificado.