web
counter

Archives

Multidimensionais, Fractais e quetais

Multidimensionais, Fractais e quetais

Na semana passada vimos que nas empresas existem três tipos de unidades organizacionais: de Entradas, de Saídas e de Relacionamentos. Ao ordená-las segundo o clássico desenho hierárquico uma firma pode criar mais problemas que soluções. Nos últimos tempos, diversas alternativas foram propostas. Este artigo apresenta duas: a Organização Multidimensional sugerida ... Read More
 
Estruturas, Guerras e Ripongos (de novo!)

Estruturas, Guerras e Ripongos (de novo!)

O artigo anterior mostrou como o tempo pode determinar a estrutura de uma organização. Operação cuida do presente, Propósito vislumbra o futuro e Transição é o caminho entre as duas. Como colocado, tal classificação raramente é formalizada. São outros os critérios que normalmente caraterizam o desenho de um negócio. Este ... Read More
 
O Início, o Fim e o Meio

O Início, o Fim e o Meio

Segue a conversa sobre como domar o monstro do tempo e efetivamente representá-lo em nossos modelos de negócios. Se pegou o bonde andando, não deixe de ver o artigo anterior. Hoje veremos a relação entre o tempo e a estrutura de uma organização.
 
O Monstro do Tempo

O Monstro do Tempo

Os poucos corajosos que toparam o desafio proposto no último artigo deram bons chutes¹: seriam os avanços tecnológicos o tal monstro? Ou as incertezas? Ambos têm a ver com o futuro, com o Tempo. Um fator que nossos modelos de negócios não costumam tratar muito bem.
 
Monstros em Modelos de Negócios

Monstros em Modelos de Negócios

Os autores dos antigos mapas sinalizavam de maneira muito peculiar o que era desconhecido: desenhavam imensos monstros marinhos para destacar águas não navegadas. Deveríamos ter diversas criaturas horripilantes enfeitando nossos modelos e mapas de negócios. Há um monstro em particular que parece nos afetar cada vez mais. Você saberia dar um nome a ele?
 
Sobre Hierarquias, Modas e Ripongos

Sobre Hierarquias, Modas e Ripongos

A edição #1070 da revista EXAME (06/ago/2014) apresenta a seguinte chamada de capa: “Gestão: a moda agora é a empresa sem chefe”. O artigo, assinado por Patricia Valle, mereceu o título “Nasce a Gestão Riponga”. O veredito, indisfarçavelmente negativo, aparece logo de cara. Era para tanto? Até que ponto um artigo assim, cínico e irônico, realmente colabora para um debate construtivo?
 
Criando Riqueza

Criando Riqueza

Cadeias, Redes e Oficinas de Valor

Todo negócio pede licença para existir apresentando uma missão – sua Razão Social. É assim que ele diz¹ qual tipo de riqueza pretende gerar e compartilhar com a sociedade que o recebe. A maneira como esse compromisso é realizado delimita o núcleo do negócio (core business). Na terminologia utilizada neste ... Read More
 
Como sua Empresa cria Riqueza?

Como sua Empresa cria Riqueza?

Em tempos de capitalismo acelerado/financista, algumas questões cruciais parecem deixadas de lado. Fala-se muito em quem vai comprar quem, sobre investidores com bolsos fundos e estreias estrondosas em bolsas de valores¹. Também se conversa bastante sobre cortes de custos. O que sempre deveria nos fazer lembrar de um ensinamento de Drucker²: “As ... Read More