• Home
  • /Posts Tagged ' DSRP '

Archives

A Caixa de Ferramentas do PO

A Caixa de Ferramentas do PO

Não são poucos nem triviais os trabalhos do PO. Para inspirar e orientar o desenvolvimento de produtos ele precisa de boas ferramentas. Estamos cheios delas. E isso não é necessariamente bom. Sobram sobreposições e redundâncias. Faltam interfaces para que as ferramentas se comuniquem e possibilitem a construção de uma narrativa lógica e coesa. A organização da caixa de ferramentas do PO dá trabalho.
 
Se Apaixone pelo Problema

Se Apaixone pelo Problema

Nos dois artigos anteriores tentei mostrar a necessidade de uma maior preocupação com o Domínio do Problema. Eles se concentraram no porquê. O texto de hoje ilustra como podemos nos apaixonar por problemas.
 
DSRP: Um Caso de Uso

DSRP: Um Caso de Uso

No artigo anterior prometi um exemplo de uso do DSRP, modelo que propõe uma atualização do Pensamento Sistêmico. Fiz opção por um tema caro e comum para quase todos que por aqui passeiam: o desenvolvimento de requisitos.
 
Antipop

Antipop

Tenta falar o que as pessoas querem ouvir, aí quem sabe você fica rico. 🙂 Comentário do Vitão sobre as palestras antipop. Quem dera a coisa ficasse só no sarcasmo entre amigos. Há meses me deparo com sugestões e críticas que repetem o Vitão. O problema é que elas são sérias. Que lógica há em um mergulho no oceano vermelho de sangue? Será o novo, diferente ou antipop tão inviável assim? A cauda longa é uma mentira?
 
Pra Pensar

Pra Pensar

Alternativas ao flit

"Não somos o que sabemos e sim o que queremos aprender." - Mary Catherine Bateson
 
DSRP: 4 Regras Simples

DSRP: 4 Regras Simples

Apesar dos 60+ anos de estrada, o Pensamento Sistêmico ainda está muito distante da popularidade. Não é fácil se livrar da mentalidade e dos vícios acumulados em mais de cinco séculos. Depois de alguns voos de galinha¹, a área ganha novo impulso. Será que temos, pela primeira vez, uma linguagem realmente universal? O DSRP cumprirá sua promessa de tornar o Pensamento Sistêmico acessível para todo mundo? Literalmente? Vejamos.